Como uma dor de cabeça fez Rubens Barrichello descobrir um AVC e um tumor!


O piloto Rubens Barrichello descobriu duas doenças graves após uma dor de cabeça fortíssima. A revelação ocorreu no programa Conversa com Bial (TV Globo), em que o automobilista mostrou a cicatriz resultante do tratamento.

Barrichello contou que a descoberta do Acidente Vascular Cerebral (AVC) ocorreu após tomar um banho pela manhã.

“Saí do banho e, de repente, senti uma dor que, de 0 a 10, seria para quebrar, 8 ou 9”, contou.

 

Na hora ele pensou que seu “motor” havia quebrado, ou pior: “A biela vazou por dentro do bloco”, disse se referindo a uma das peças de carro. Rubens ainda deitou no chão e esperou a dor passar, pois não queria acordar ninguém, até que percebeu que precisava de ajuda e foi falar com sua mulher, Silvana. Após alguns minutos, o piloto começou a passar mal e foi acudido por um amigo médico que o levou ao hospital.

Sorte ou azar?
Após ser atendido e fazer exames, Rubens descobriu que contara com uma sorte invejável. “A veia que se abriu por uma má formação e gerou o AVC se regenerou com o próprio sangue em apenas duas horas e meia”, contou.


Caso tal regeneração não tivesse ocorrido, o quadro de Barrichello se agravaria. “Quando eu saí do hospital, eles [os profissionais da saúde] falaram: ‘Apenas 14% das pessoas que entram como você entrou saem como você saiu, o restante tem sequelas ou podem morrer'”, explicou.

26866205_1989088144438042_8119920257621032960_n

Descoberta do tumor
Após se recuperar, Barrichello passou por exames para entender se o AVC tinha origem genética e acabou descobrindo um tumor benigno na lateral esquerda do pescoço.

O piloto tirou rapidamente a massa, que poderia crescer e causar problemas de saúde. “Realmente, todo mundo tem razão em te chamar de pé frio”, ironizou o apresentador Pedro Bial ao destacar a sorte de Rubinho por ter o AVC sanado pelo próprio corpo e ainda descobrir, por acaso, um tumor precocemente.

Tumores benignos causam riscos?
O mastologista Fábio Augusto Arruda de Oliveira, do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, explica que tumores são massas cujas células se proliferam de maneira anormal. Quando têm capacidade de invadir outras partes do corpo, são consideradas malignas, ou seja, cânceres.

Os tumores que não conseguem invadir outros tecidos são benignos, mas isso não significa que não possam causar danos à saúde.

Dependendo do tipo de cisto, há chance de comprimir nervos, vasos, vias respiratórias e outras importantes partes do organismo, gerando necrose, edema ou paralisia.

Também existem estruturas benignas que podem se tornar malignas, o que exige acompanhamento ou remoção preventiva por meio de cirurgia.

Podem ser assintomáticos
Os tumores benignos podem gerar sintomas ou não, a depender da área do corpo afetada. Por exemplo, há alguns cistos nos seios que podem causar saída de secreção, já outros são imperceptíveis.

Assim, o ideal é realizar consultas anuais com profissionais de diversas especialidades e informar quaisquer alterações notadas no corpo.

Fonte: Vix.com