Saúde: smartphones no bolso é um hábito que deve ser evitado.


 

 

É um gesto completamente automático: todas as manhãs, antes de sair de casa, você coloca suas chaves em um bolso das calças e o celular no outro. Muitas vezes, você sequer pensa a respeito, e frequentemente tem um ataque de pânico que dura meio segundo enquanto checa o bolso para se assegurar de que o telefone continua ali.

Mas levar o celular no bolso, ainda que seja prático, é provavelmente o pior lugar para guardá-lo. Muitas pessoas não estão cientes no que esse gesto inocente implica, mas não se preocupe: estamos aqui para te alertar sobre esse erro.

 

Há anos, numerosas organizações ao redor do mundo investigam se o uso dos smartphones e a proximidade dos mesmos de nossos corpos pode aumentar o risco de termos algo que todos tememos: câncer. Ainda que não tenham chegado a uma conclusão definitiva, os resultados obtidos até agora não parecem nada bons: muitos estudos estão ligando o uso do celular ao câncer de pele e de testículos. Além disso, também parece poder danificar nosso Sistema Nervoso Central (SNC), algo muito grave, uma vez que basicamente controla todo nosso corpo.


Mas como isso é possível? Bem, os smartphones geram energia eletromagnética em forma de ondas de rádio. Isso quer dizer que, quando mais perto o aparelho está do corpo, maior a radiação que recebemos… e isso pode afetar nosso organismo negativamente.

 

No caso dos homens é ainda pior: carregar o celular perto dos testículos piora a mobilidade dos espermatozoides e reduz sua quantidade. Mas não há motivos para pânico, isso não quer dizer que todo mundo que leva o telefone no bolso ficará estéril. O que é certo é que o perigo existe: as ondas estão aí, ainda que não possamos vê-las, e afetam, sim, a sua fertilidade. O que se desconhece é até que grau essa radiação afeta os pequenos nadadores que esperam pacientemente em seus testículos… mas é melhor prevenir do que remediar, não é mesmo?

 

Isso traz riscos também na gravidez: usar o celular com muita frequência ou colocá-lo perto do feto faz com que as ondas possam afetar o bebê, seu sistema reprodutor e lhe causar danos graves.

A radiação não é boa de qualquer forma. Por isso, ainda que não existam estudos conclusivos, com uma pequena mudança de hábito em nossa vida podemos nos assegurar de que o dano não seja maior: na próxima vez que sair de casa, guarde o smartphone na mochila/bolsa ou no casaco e tente não pensar muito sobre essas ondas malvadas. Você fará um grande favor à sua saúde!