Com o frango, todo cuidado é pouco!


com-o-frango-todo-cuidado-e-pouco

Muitas pessoas não têm ideia do perigo que o manuseio errado do frango pode trazer à nossa saúde. Isso porque ele contém Salmonella e a Campylobacter, duas bactérias que podem causar toxi-infecção alimentar. Conclusão? Por causa de um simples franguinho, você pode ter um mal-estar danado, com diarreia, vômito, dores abdominais, náuseas… Preciso contar uma coisa: a maneira mais frequente de contágio ocorre de um jeito meio bobo: quando se lava o frango em água corrente! Isso mesmo. Quando a água toca o frango, espirra na pia e na bancada. Ao colocar outros alimentos sobre essas superfícies, ocorre o que chamamos de contaminação cruzada. Ou seja, o ato de lavar o frango espalha as bactérias pela cozinha, “sujando” o ambiente. Outra forma comum de contaminação é a ingestão deste tipo de carne malcozida. Não se deve comer frango malpassado de jeito nenhum. Quando ele não atinge a temperatura de cozimento adequada (74 ºC), as bactérias continuam vivas e, ao ingeri-las, corre-se o risco de ficar doente. Para evitar esse tipo de problema, vou fazer algumas recomendações.


A primeira delas é: nunca lave o frango! Muitas pessoas fazem isso com o intuito de tirar o sebo e limpá-lo. Para retirar essa gordurinha, basta colocar suco de limão ou vinagre. Já os microorganismos nocivos você só “mata” cozinhando e assando bem (se for grelhar, deixe os bifes fininhos, para que a temperatura ideal seja atingida com mais facilidade). Outra dica é lavar o mais rápido possível os utensílios usados na preparação do frango – se possível, tenha duas tábuas, uma apenas para carnes cruas e outra para frutas e legumes. E mais: quando armazenar carnes na geladeira, coloque-as em potes fechados para que o sangue não escorra. Vale dizer também que, quando o frango é descongelado, o recongelamento  jamais pode acontecer, pois isso faz com que as bactérias se multipliquem, aumentando os riscos. Por fim, compre o frango sempre no balcão do açougue ou do supermercado, porque as geladeiras em que ficam expostos dificilmente têm uma temperatura legal, dando aos germes ambiente propício para proliferação. Na próxima coluna, volto para falar sobre um alimento que ainda gera muitas dúvidas: o ovo. Até lá!

fonte:http://vivamais.uol.com.br/


Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*